Notícias

Função Pública. Professores e assistentes operacionais valem 70% da redução

Função Pública. Professores e assistentes operacionais valem 70% da redução

Cortes. Entre 2011 e 2018, as fileiras dos assistentes operacionais encolheram em 21 mil pessoas. Nos professores a redução foi de 16 mil

16.11.2018 | Por Sónia M. Lourenço


  PARTILHAR
LinkedIn Twitter Facebook Google+



Depois de três anos em queda, o número de trabalhadores da Administração Pública está a aumentar desde 2015. Mas, a recuperação está longe de compensar a sangria dos anos da troika. No período negro do ajustamento multiplicaram-se as saídas da função pública, muitas delas por reforma antecipada. Tudo somado, o Estado (sem contar com empresas públicas) contabiliza 675.320 postos de trabalho (em junho de 2018), menos 52.465 do que no final de 2011.

A redução é transversal a muitas das carreiras da função pública. E foi acompanhada por um envelhecimento dos trabalhadores do Estado (ver texto ao lado). Mas faz-se sentir de forma mais pesada nos assistentes operacionais e nos professores. São estas as carreiras com maior redução absoluta de postos de trabalho entre 2011 e 2018. Os assistentes operacionais (que abrangem trabalhadores com funções de natureza executiva, por exemplo, auxiliares de ação médica ou de educação, condutores de veículos, canalizadores, cozinheiros, empregados de limpeza ou de balcão, jardineiros, operários e pedreiros) perderam 21.337 empregos (menos 12,3%), enquanto nos professores (educadores de infância e docentes do ensino básico e secundário) a diminuição foi de 15.805 (menos 10,5%). Em conjunto, estes dois grupos perderam mais de 37 mil empregos, número que vale 70% da redução de trabalhadores da Administração Pública neste período.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI



OUTRAS NOTÍCIAS
Universidades recusam integrar precários por falta de verba no Orçamento do Estado

Universidades recusam integrar precários por falta de verba no Orçamento do Estado


Zero. É esse o número de concursos já abertos pelas universidades para regularizar a situação laboral de professores convidados e investigadores precários. Ex...

Desemprego mantém-se nos 6,7% e não baixa pela primeira vez desde o final de 2016

Desemprego mantém-se nos 6,7% e não baixa pela primeira vez desde o final de 2016


A taxa de desemprego em Portugal estava a baixar sucessivamente há ano e meio, com cada novo trimestre a registar um valor inferior aos três meses precedentes. Mas, o terceiro trimestre (...

Como recrutar na era digital?

Como recrutar na era digital?


Vivemos amedrontados com o cenário futurista (mas já nem tanto) de as máquinas tomarem conta dos postos de trabalho dos humanos. Contudo, a tecnologia e a inteligência artif...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO




ÚLTIMOS EMPREGOS


.NET DEVELOPER

Spring Professional Portugal

ACCOUNT MANAGER

Spring Professional Portugal

ACCOUNTING CONSULTANT

Spring Professional Portugal