Notícias

Tem perfil para integrar uma startup?

Tem perfil para integrar uma startup?

Trabalhar numa startup é bastante diferente de trabalhar numa grande empresa. Tratando-se de organizações mais pequenas, em fase de arranque ou implementação no mercado, o nível de responsabilidade, exigência e pressão colocados aos profissionais para atingir resultados, são substancialmente superiores aos praticados numa empresa de grande dimensão. Os especialistas aconselham por isso os candidatos a realizar uma avaliação das suas competências antes de abraçar um desafio numa startup. 

22.08.2014


  PARTILHAR



Espírito empreendedor, flexibilidade, capacidade de adaptação, autonomia, organização, proatividade, capacidade de lidar com a frustração e gosto pelo trabalho em equipa poderão ser, em jeito de resumo, as oito competências-chave que qualquer profissional tem de ter se quiser integrar a equipa de profissionais de uma empresa em fase de implantação e crescimento (startup). Os especialistas em recrutamento reconhecem a importante fonte de aprendizagem decorrente de integrar uma empresa na sua fase de arranque, mas apontam também riscos e destacam um grau de exigência que não é para todos.

Numa Era em que o empreendedorismo está na ordem do dia, vários gestores experientes têm trocado carreiras em empresas de grande dimensão por startups. O consultor brasileiro Felipe Brunieri, especialista em recrutamento e gestão de carreira, enfatiza que no Brasil esta opção já é comum e que será prática também noutros países onde o movimento do empreendedorismo tem vindo a ganhar escala. O seu percurso profissional seguiu de resto essa tendência ao decidir abraçar o desafio de uma startup, depois de ter consolidado experiência em duas multinacionais.

Para o especialista há claras diferenças entre trabalhar numa grande empresa e num pequeno projeto em fase de arranque, desde o ritmo de trabalho (mais acelerado e dinâmico numa startup, ao contrário do que se possa pensar), à própria planificação do trabalho. Numa grande organização é possível estruturar melhor o trabalho do que numa empresa em fase de arranque onde surgem por vezes múltiplos desafios em simultâneo, a que é necessário das respostas com uma equipa que é, por norma, substancialmente mais pequena. Um contexto que leva também os profissionais a superarem as competências que julgavam ter. Numa startup qualquer profissional faz o que tiver de ser feito, sem ficar hermeticamente fechado nas suas funções, enfatiza o especialista. Felipe Brunieri destaca igualmente o grau de entrega que os empreendedores de uma startup exigem à sua equipa de profissionais, onde o sucesso do negócio na sua fase inicial depende de forma evidente e clara do esforço de toda a equipa.

Outro factor que vale a pena analisar enquanto testa a sua aptidão e perfil para integrar uma startup é o potencial de progressão na carreira e retorno financeiro que, podendo vir a ser igualmente aliciantes, não estão definidos logo à partida, tal como sucede numa grande organização que apresenta logo no momento do recrutamento um plano de desenvolvimento de carreira aos sus profissionais. Numa startup a carreira e o salário não dependem apenas do desempenho do profissional, mas do sucesso da equipa como um todo e do seu impacto na evolução do negócio.



OUTRAS NOTÍCIAS
Tomar reforça oferta formativa nas TI

Tomar reforça oferta formativa nas TI


O Instituto Politécnico de Tomar vai lançar uma nova pós-graduação em Business Intelligence. O curso foi estruturado em parceria com a SoftINSA, a empresa do grupo I...

Ensino prático potencia emprego

Ensino prático potencia emprego


Para já são apenas dez os estudantes da Escola de Hotelaria de Colares (EPAV) em funções no Hotel Escola Sarrazola, implantado na Quinta da Sarrazola, em Colares (Sintra), ...

Digital pode empregar 10 milhões

Digital pode empregar 10 milhões


Os empreendedores digitais dos países do G20 têm potencial para criar 10 milhões de empregos para jovens, se se dissiparem as barreiras que ainda limitam a iniciativa empresarial. ...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO





ÚLTIMOS EMPREGOS


Diretor-Geral

FAROL ATT - Associação de Tratamento das Toxicodependências