Notícias

Quatro unicórnios e 835 contratações

Quatro unicórnios e 835 contratações

Recrutamento - Quatro tecnológicas portuguesas de crescimento acelerado vão recrutar em várias zonas do país.

31.03.2017 | Por João Ramos


  PARTILHAR
LinkedIn Twitter Facebook Google+



Portugal tem três startups tecnológicas com potencial para serem unicórnios no curto prazo, segundo a classificação Tech Tour Growth 2017. Ou seja, poderão alcançar uma valorização de mil milhões de dólares. São elas: a Feedzai, a Talkdesk e a Uniplaces. Além de terem crescimento exponencial de negócio, estes pré-unicórnios têm em comum o facto de serem ‘máquinas’ de criação de postos de  trabalho qualificado. Só estas três startups preveem criar 335 empregos até ao final do ano.

Mas, se adicionarmos a Farfetch, um unicórnio fundado em Londres pelo português José Neves, o número de postos de trabalho criados em  Portugal por este tipo de empresas vai disparar para 835, já que esta empresa de comércio eletrónico de moda vai contratar 500 pessoas para expandir as suas operações em Lisboa, Porto e Guimarães. No final de 2017, a Farfetch poderá ter criado 1340 postos de trabalho qualificado em sete áreas: tecnologia, produto, operações, financeira, recursos humanos e administrativos.

“O nosso objetivo passa por consolidar uma equipa tecnológica em Portugal que nos continuará a colocar na vanguarda para os muitos desafios que se avizinham nesta área. Neste sentido, procurámos perfis em todas as áreas com foco em tecnologia”, diz Luís Teixeira, diretor-geral da Farfetch. Esta aposta em profissionais com perfil tecnológico não acontece por acaso, uma vez que o negócio do grupo fundado por José Neves vai de vento em popa. Em 2016, o valor das mercadorias (moda de luxo) subiu 70% face ao ano anterior, o que permitiu atingir um volume de negócios de €740 milhões. O segredo desta expansão resulta do facto de a empresa ter construído uma plataforma omnicanal própria (com aplicações proprietárias) que foi desenvolvida por 500 engenheiros e especialistas de produtos e que deverão ser 1000 profissionais em 2018. Uma sofisticada plataforma  que gere a página web Farfech.com em nove idiomas, uma seleção de moda de luxo de 1500 marcas e a logística que permite a entrega dos artigos no mesmo dia em 10 cidades (Lisboa, Londres, Nova Iorque, Paris, Los Angeles, Miami, Madrid, Milão, Barcelona e Roma). Atualmente, o site tem 10 milhões de visitas por mês, sendo mais de 60% originadas em dispositivos móveis (smartphones e tablets), em que cada cliente gasta, em média, 700 dólares por pedido. Outro dado que explica  o elevado número de contratações resulta do facto de a Farfetch.com ter de alimentar os sites das suas submarcas: Farfetch Black&White (divisão de marca branca), o BrownsFashion, ManoloBlahnik.com e ChristopherKane.com.

A inovação tecnológica não para e, no próximo dia 12 de abril, o grupo liderado por José Neves vai lançar a “Store of the future” (a loja do futuro), definida como “um pacote personalizado de tecnologias desenvolvido para ajudar as marcas e boutiques a aprimorar a experiência do consumidor conectando os mundos offline e online”.

Dos EUA até Europa

Cada um dos unicórnios que falam português tem as suas necessidades específicas de acordo com o seu modelo de negócio, mas há um traço comum entre eles: todos procuram por profissionais de áreas tecnológicas. Só a Uniplaces, a plataforma para arrendamento para universitários, diverge dos restantes uma vez que está nesta altura a dar primazia ao recrutamento de 35 profissionais especializados na gestão de produto, recursos humanos (aquisição de talento), marketing (incluindo designers e gestores de marca) e gestores de conta para mercados internacionais, vendedores  e agentes de apoio ao cliente e gestores de projeto.

 Já os  outros pré-unicórnios — Feedzai (especialista em software de deteção de fraudes) e a Talkdesk (especialista em centros de contacto através da web) — estão a expandir a sua atividade na Europa, depois de terem apostado primeiro nos Estados Unidos onde testaram os respetivos modelos de negócio. Têm outra faceta em comum: procuram maioritariamente perfis tecnológicos.

A Feedzai tem até ao final do ano  150 vagas para engenheiros de software e cientistas de dados e vendedores. Já a Talkdesk planeia recrutar este ano 100 colaboradores para os escritórios de Lisboa e Porto (recém-inaugurado) para as áreas de engenharia, recursos humanos, vendas e criativos. Nas áreas tecnológicas, a empresa liderada por Tiago Paiva anda à procura de perfis muito específicos na área de segurança, cientistas de dados e outros para os quais dificilmente se encontra tradução em português (back-end, front-ends, full-sctack, devops, data specialist, QA, salesforce, UI-UX). 



OUTRAS NOTÍCIAS
“Há mais trabalho para lá dos contratos a tempo inteiro”

“Há mais trabalho para lá dos contratos a tempo inteiro”


O presidente da Manpower falou ao Expresso sobre os botões que o mundo precisa de acionar para responder ao impacto das tecnologias e das alterações demográficas no merc...

Operários, precisam-se. Qualificados

Operários, precisam-se. Qualificados


A expansão da unidade de energia levou a ASM Industries, de Sever do Vouga, a recrutar no mercado 40 profissionais de várias especialidades, como soldadores, serralheiros ou té...

‘Piratas’ éticos têm emprego assegurado

‘Piratas’ éticos têm emprego assegurado


Na véspera da conversa com o Expresso o ponto de encontro é alterado. Já não é na morada que consta no site institucional, mas noutro local. À entrada, o p...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO




ÚLTIMOS EMPREGOS