Notícias

Gestão (mais) digital

Gestão (mais) digital

A Associação Nacional de Jovens Empresários prepara-se para iniciar uma nova edição da pós-graduação executiva em Gestão. O curso surge renovado e com uma forte orientação para o digital. 

15.05.2015 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR
LinkedIn Twitter Facebook Google+



Soma já cinco edições e destaca-se pela sua forte componente prática. A quinta edição da pós-graduação executiva em Gestão, um dos cursos-âncora do plano formativo da Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) já esta no terreno, no Porto. O curso foi repensado de forma a adequar-se a um novo contexto de gestão empresarial, onde o digital é a palavra-chave.

As oportunidades de crescimento no universo digital e as novas tendências na gestão do capital humano, constituem as principais novidades do programa formativo que confere o diploma de pós-graduação e a possibilidade de obtenção de equivalências para prosseguimento de estudos ao nível de mestrado, no ISMAI – Instituto Universitário da Maia, entidade parceira da ANJE  no desenvolvimento do plano de estudos da pós-graduação em Gestão. O curso contempla um plano curricular de 190 horas e tem uma duração total de sete meses.

Segundo as entidades promotoras, as novas apostas do curso dão provas de “uma resposta completa, atual e diferenciadora aos competitivos desafios que, a cada ano, se impõem à gestão empresarial”. Na nova versão da pós-graduação foram introduzidos dois módulos temáticos - “E-business” e “Gestão do Capital Humano” –mantendo-se a abordagem prática como principal característica distintiva da formação, ao longo dos seus 11 módulos. “Recorrendo a uma metodologia ativa, a formação parte da exploração de situações reais da gestão e ambiciona reforçar os conhecimentos dos formandos através de exercícios práticos, simulações, seminários, entre outras iniciativas fora da caixa”, explica a organização.

O objetivo do curso é, segundo a ANJE, capacitar os gestores para os desafios da atual envolvente externa, marcada por constantes mutações económicas, sociais, legais, políticas e tecnológicas. Paralelamente, no final da formação, os participantes poderão ainda deter uma ferramenta de grande utilidade prática para as respetivas atividades profissionais e empresariais, já que no módulo “Projeto” têm a oportunidade de desenvolver trabalhos, como, por exemplo, planos de negócio, devidamente validados pelos docentes do curso. 

 



OUTRAS NOTÍCIAS
Competências: o que as empresas procuram

Competências: o que as empresas procuram


O que distingue Portugal dos Estados Unidos no que ao gap entre as competências dos profissionais e as necessidades reais das empresas diz respeito? Nada de muito significativo. Segundo um estud...

Gerir como um samurai

Gerir como um samurai


Entre a filosofia das artes marciais e a gestão quotidiana de equipas ou empresas há muito mais semelhanças do que diferenças. Hugo Silva, market director da Whirlpool Port...

Prime IT volta a contratar

Prime IT volta a contratar


A tecnológica portuguesa Prime IT quer superar este ano a fasquia dos 650 profissionais na sua equipa. Para isso tem previsto realizar 230 novas contratações até ao final d...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO




ÚLTIMOS EMPREGOS


1 (um) Coordenador

ERSAR - Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos

Advogado

Anónimo