Notícias

FCT quer mais empregos digitais

FCT quer mais empregos digitais

Dezoito entidades públicas e privadas uniram-se num desígnio comum: promover a empregabilidade digital em Portugal. A Fundação para a Ciência e Tecnologia coordena a nova plataforma esta semana apresentada em Lisboa.

30.04.2015 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR
LinkedIn Twitter Facebook Google+



Chama-se Coligação Portuguesa para a Empregabilidade Digital e a sua criação foi esta semana oficializada, tendo como meta a elaboração de uma proposta de Estratégia Nacional e Plano de Ação para a Empregabilidade Digital 2015-2020. A plataforma é coordenada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia e agrega 18 entidades públicas e privadas, entre as quais se destacam a PT Portugal, o Pólo das Teecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica (TICE.PT), a CIONET Portugal, a Ordem dos Engenheiros, a Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Superior e outros. A proposta resultante da reflexão dos vários parceiros que integram a plataforma será remetida aos responsáveis governamentais das áreas da Economia, Educação e do Emprego.

O sector das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) terá em 2020 um défice previsto de 900 mil profissionais, segundo um estudo recente da Comissão Europeia. Em Portugal, este fosso entre as necessidades das empresas e as competências dos profissionais disponíveis no mercado poderá ainda ser maior, “resultado do elevado nível do desemprego, em particular do emprego jovem, e do pouco recurso às TIC por uma parte significativa do tecido empresarial nacional”, elenca a coligação na sustentação dos seus propósitos, acrescentando que este afastamento entre os portos de trabalho disponíveis e os profissionais qualificados para os preencher “constitui um grave entrave à recuperação e crescimento económico europeu”.

Reduzir o défice de profissionais
Segundo a FCT, entidade coordenadora da plataforma, “a Estratégia Nacional e Plano de Ação para a Empregabilidade Digital 2015-2020 tem como objetivos reduzir significativamente o défice de profissionais em TIC e criar melhores condições de acesso dos trabalhadores ativos, no sector público e privado, à aquisição de competências TIC necessárias à atividade”, mas também “alavancar o número de empresas que recorrem ao digital e das empresas de base digital, e desenvolver a economia e os mercados digitais, através da internacionalização do sector, da captação de investimento estrangeiro, da atração de centros internacionais para Portugal e na capitalização de infraestruturas e recursos humanos altamente qualificados do país”, explica.

?A Coligação Portuguesa para a Empregabilidade Digital e os seus 18 parceiros, relacionam-se a nível Europeu com a Grand Coalition for Digital Jobs, que a Comissão Europeia lançou em março de 2013 e cujos princípios estão inscritos na Davos Declaration on the Grand Coalition for Digital Jobs, de fevereiro de 2014, no âmbito do World Economic Forum. A coligação europeia tem como metas potenciar e facilitar a colaboração entre os sectores público e privado, as comunidades académica e técnica e organizações não governamentais e a sociedade civil tendo em vista a valorização das oportunidades de emprego que o sector TIC oferece no velho continente.

18 parceiros para a empregabilidade
A nova coligação para a promoção da empregabilidade digital nacional reúne, à semelhança da sua congénere europeia, um conjunto de parceiros de peso no panorama nacional das Tecnologias de Informação e Comunicação. É do debate entre estas entidades, públicas e privadas, que sairão as futuras propostas de orientação focadas na promoção da empregabilidade no sector e na atração do investimento internacional para Portugal. ?

. Fundação para a Ciência e Tecnologia?
. Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal?
. Agência Nacional para a Qualificação e Ensino Superior?
. Direção-geral da Educação?
. Direção-geral do Ensino Superior?
. IAPMEI - Agência para a Competitividade e Inovação?
. Instituto do Emprego e Formação Profissional?
. Ordem dos Engenheiros?
. Academia de Código| Code for All?
. Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações?
. Associação para a Promoção e Desenvolvimento da Sociedade de Informação?
. Confederação do Comércio e Serviços de Portugal?
. CIONET Portugal?
. European Centre for Women and Technology| National Point of Contact?
. EPIS - Empresários para a Inclusão Social?
. Fundação Calouste Gulbenkian?
. PT Portugal| MEO?
. Pólo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica (TICE.PT)



OUTRAS NOTÍCIAS
“Queremos perfis com valências digitais”

“Queremos perfis com valências digitais”


Soma perto de 300 profissionais e recruta uma média de 20 a 25 novos talentos por ano. Para Charles Arkwright, diretor de recursos humanos da L'Oréal Portugal, mais do que a quantidade d...

BioCamp volta a desafiar talentos nacionais

BioCamp volta a desafiar talentos nacionais


A Novartis Portugal integra o projeto anual da casa-mãe desde 2008, levando a Basileia, na Suíça, os melhores talentos universitários nacionais nas áreas core da emp...

Bioinformáticos: os novos profissionais

Bioinformáticos: os novos profissionais


Para além de ser pioneira em Portugal, a licenciatura em Bioinformática antecipa em Portugal o que há muito já é uma necessidade das empresas a nível Internac...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO




ÚLTIMOS EMPREGOS


DPO ASSISTANT

Michael Page Portugal

MANAGEMENT CONTROLLER

Michael Page Portugal

STORE MANAGER - ALBUFEIRA

Experis Sales & Marketing, Retail