Notícias

Encontrar talento onde há escassez

Encontrar talento onde há escassez

A área das Tecnologias de Informação é, muito provavelmente, uma das mais desafiantes para recrutar talento. Seja porque o mercado não forma profissionais qualificados em número suficiente para as necessidades das empresas, porque os profissionais que existem e estão empregados não estão disponíveis para aceitar novos desafios, ou porque os jovens talentos atualmente em formação nas universidades têm ambições de carreira internacionais. Ana Costa Branco, a responsável de recrutamento da Smart Consulting, desafia este contexto, diariamente. 

27.05.2016 | Por Cátia Mateus


  PARTILHAR
LinkedIn Twitter Facebook Google+



Recrutar na área das Tecnologias de Informação desafia todas as técnicas clássicas de recrutamento. É Ana Costa Branco, HR & Acquisition Manager da Smart Consulting quem o afirma. O seu dia-a-dia, é lidar com o desafio de atrair e reter talento para um sector de empregabilidade plena, onde cumprir a missão de reforçar equipas com colaboradores altamente especializados exige, por vezes, um exercício diário de criatividade. Tornou-se essencial construir processos de recrutamento com técnicas mais atrativas e de procura direta para cumprir a ambição de atrair os melhores. É o que está a fazer a Smart Consulting com os 50 talentos que este ano quer atrair.

Hoje mais do que nunca, para contratar os melhores, as empresas têm de “ir atrás de quem querem, mostrar-lhes as mais-valias de trabalhar na empresa e o que podem beneficiar por integrarem aquela equipa”, explica Ana Costa Branco, acrescentando que, naturalmente, públicos diferenciados exigem formas de contacto distintas. Para recrutar perfis mais seniores o foco é o contacto através de ferramentas de social recruitment e referências dadas pelos colaboradores. Para identificar talento junior, o palco preferencial são as universidades e as feiras de emprego que realizam ou a realização de open days. ?Em 2016 a meta da Smart Consulting é passar dos atuais 110 colaboradores para os 160. A liderar a estratégia de recrutamento da empresa está a jovem gestora de recursos humanos e talento que apesar dos seus 28 anos acumula um percurso sólido e com provas dadas na gestão de pessoas (ver caixa).

Na mira de Ana Costa Branco estão perfis de vários ramos da engenharia (informática, de telecomunicações e eletrotécnica), para funções de consultoria tecnológica e que sejam capazes de fazer o match com uma cultura organizacional jovem, fortemente consolidada no trabalho em equipa. A área de Desenvolvimento (Java, .Net C#, PHP) é, segundo a responsável, a que maiores oportunidades gera em matéria de contratação. “Estamos constantemente a reforçar as nossas equipas técnicas, seja para projetos já em curso ou para novos projetos”, explica Ana Branco acrescentando que as oportunidades criadas na empresa permitem aos profissionais da Smart Consulting integrar projetos em sectores tão diversos como “banca e seguros, telecomunicações e transportes/logística”. Com as 50 contratações previstas para este ano, a empresa procura também reforçar os seus quadros em projetos de âmbito internacional em geografias como França e Holanda.

Ana Costa Branco
28 anos
HR & Talent Acquisition Manager na Smart Consulting

Formação:
É mestre em Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações, pela Universidade de Lisboa.

Percurso:
Iniciou a carreira nos Recursos Humanos em 2011, numa empresa de consultoria em Tecnologias de Informação, como consultora. Na fase inicial do seu percurso, estava focada no recrutamento e seleção de perfis técnicos com o objetivo de constituir equipas para projetos. Mais tarde, passou a gerir a área de Recursos Humanos da empresa e alargou a sua intervenção aos domínios da gestão de formação, avaliação de desempenho e mentoring. Anteriormente tinha já trabalhado numa empresa de recrutamento de trabalhadores temporários e na Direção de Psicologia de uma das forças de segurança nacionais.

Maior desafio de carreira:
Recrutar para um sector em plena empregabilidade como o das Tecnologias de Informação. “É difícil contratar e é difícil reter os colaboradores”, reconhece.

Competências valorizadas:
Um bom profissional deve ter “paixão pelo que faz, procurar superar-se a cada dia e ter um forte espírito de equipa”.

Contratações previstas para 2016:
50.

Áreas de recrutamento preferenciais:
Maioritariamente perfis da Engenharia Informática, Engenharia de Telecomunicações e Engenharia Eletrotécnica para funções de consultoria tecnológica.



OUTRAS NOTÍCIAS
Salários portugueses estão €1005 abaixo da média europeia

Salários portugueses estão €1005 abaixo da média europeia


O salário médio bruto nos 28 países da União Europeia é de 1995 euros mensais. Um profissional português levam em média para casa ao final de cada m&eci...

Horas extra são desnecessárias

Horas extra são desnecessárias


Apenas 6% dos casos de trabalho extraordinário ocorridos em empresas nacionais, são justificados com a necessidade de dar resposta ao excesso de encomendas de última hora. A maior...

Winning treina data scientists

Winning treina data scientists


Numa economia dominada pela tecnologia e pelo big data, a procura de data scientists (cientistas de dados) já supera a oferta de profissionais qualificados nesta área disponíveis ...



DEIXE O SEU COMENTÁRIO




ÚLTIMOS EMPREGOS