A sua carreira é o nosso trabalho
Empresas

    Voltar
  ISLA forma em novos idiomas  
  Leica combate desemprego no país  
220 empregos disponíveis para as tecnologias de informação

220 empregos disponíveis para as tecnologias de informação



29.03.2012 | Por Cátia Mateus

Apesar da conjuntura económica, o sector das tecnologias de informação e comunicação, parece não ter grandes razões de queixa. Só esta semana, duas empresas nacionais lançaram no mercado processos de recrutamento para preencher 220 vagas em aberto.

O sector português das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) está há muito de olhos postos na internacionalização. E será provavelmente esta estratégia que está a sustentar a feliz dinâmica que o sector continua a demonstrar em matéria de novas contratações, para lá de qualquer cenário de adversidade económica ou instabilidade. A PrimeIT e a Outsystems são disso exemplo. Só estas duas empresas têm em aberto desde o início desta semana 220 oportunidades de emprego para o mercado nacional e internacional. E garantem, sem receios, que a tendência é crescer.

No ano passado, em pleno contexto de crise, a consultora tecnológica PrimeIT, aumentou a sua faturação em 25% e elevou as suas vendas até perto dos dez milhões de euros. Ricardo Carvalho o chief executive officer (CEO) da empresa quer elevar ainda mais a fasquia da empresa este ano e para isso assume como objetivo recrutar 170 novos profissionais em 2012. A maioria destas posições será na área das engenharias, devendo os profissionais recrutados integrar projetos nacionais e internacionais. Mas também está prevista a contratação de colaboradores para reforçar as equipas de estão da empresa, nos escritórios de Lisboa e Paris.

A PrimeIT trabalha empresas na área das telecomunicações, banca e seguros e integra uma equipa de 230 colaboradores. Em 2011 a empresa iniciou o seu processo de internacionalização com a abertura de uma delegação em Paris, um mercado de que deverá representar 10% da faturação da empresa este ano. Para Ricardo Carvalho, “a PrimeIT nasceu num clima adverso e, não obstante esse facto, é uma empresa forte em crescimento e em expansão”. O CEO acrescenta ainda que “a meta da empresa sempre foi posicionar-se como uma empresa portuguesa de referência no mercado e é com base nessa premissa que trabalhamos”. Para líder da consultora “o reforço nas contratações surge, não como uma meta, mas como uma resposta à oportunidades que temos criado ao longo dos anos”.

Entre os perfis procurados, estão jovens profissionais recém-licenciados ou com vários anos de experiência, dinâmicos e com um denominador comum: formação em tecnologias de informação, preferencialmente em Engenharia Informática, Engenharia de Telecomunicações ou gestão. Outro fator vital é, diz Ricardo Carvalho, “o domínio da língua inglesa ou francesa, bem como a certificação em diferentes áreas tecnológicas”. O CEO da empresa acrescenta que neste momento, para além de Lisboa e Paris, a PrimeIT está também a recrutar consultores com vista integrarem projetos nas áreas do Porto e Aveiro.
A pensar nos profissionais portugueses que querem consolidar uma carreira internacional, a empresa criou recentemente o projeto Prime Move, que recruta candidatos que queiram abraçar projetos globais “que são cada vez em maior número devido à nossa sucursal em França”, explica Ricardo Carvalho adiantando que para recrutar a empresa recorre às plataformas convencionais, mas quando a missão é detetar jovens talentos, as feiras de emprego das universidades continuam a ser o palco de eleição.

E na Outsystems o cenário não é muito distinto. A empresa tem clientes em 15 países distintos e ganhou recentemente como cliente o exército americano. Está em franca expansão nos mercados emergentes como o Brasil e a Austrália e é este sucesso que está a levar a empresa a reforçar os seus quadros. Há 50 vagas para preencher na Outsystems. A diretora de recursos humanos da empresa, Alexandra Monteiro, esclarece que “mais de metade são funções na área dos serviços profissionais, sendo que a outra parcela são recrutamentos na área da engenharia e engenharia de software”. A empresa está também em fase de recrutamento internacional para reforçar a sua posição nos Estados Unidos e fazer face ao aumento crescente de clientes que tem registado.

Segundo a responsável, “há várias posições em aberto neste momento. A grande maioria é para Portugal para os escritórios de Lisboa e de Proença-a-Nova, mas muitas das posições em aberto são de suporte a clientes internacionais, tendo logo à partida um grande foco de suporte ao crescimento da empresa noutros mercados”.

O recrutamento para a Outsystems obedece a um processo exigente onde o talento é valorizado, porque a empresa vive dele. “Regra geral, fazemos uma grande quantidade de entrevistas (no mínimo cinco) o que torna o processo de recrutamento longo e caro. Mas é um preço justo dado que o custo de apostar nas pessoas erradas pode ser enorme para a Outsystems e especialmente para as pessoas”, esclarece Alexandra Monteiro.

    Voltar
  ISLA forma em novos idiomas  
  Leica combate desemprego no país  


Deixe o seu comentário




 
Publicidade United Work


Siga-nos: Facebook Expresso Emprego Twitter Expresso Emprego Linkedin Expresso Emprego

Publicidade


Formação Em Destaque...   Formação
 

Gerente de Loja - Viseu

Randstad Professionals

Product Manager

Randstad Professionals

Director de Operações – Retalho Têxtil

Randstad Professionals

Gerente de Loja - Pombal

Randstad Professionals

Controlo de Gestão

Hays Accountancy Finance

Gerente de Loja - Paços de Ferreira

Randstad Professionals
 

Publicidade

©2014 | Expressoemprego | Todos os direitos reservados