A sua carreira é o nosso trabalho
Empresas

Cálculo do subsídio



Guia do Desempregado

Subsídio de desemprego

O valor das prestações do subsídio de desemprego é definido em função do salário, enquanto estava a trabalhar. No entanto, a lei estipula limites mínimos e máximos: ninguém pode receber abaixo do Indexante de Apoios Sociais (IAS), nem receber mais de três vezes o seu valor. Ou seja, na prática, não irá receber menos de 419,22 euros, nem acima de 1 257,66 euros por mês.

Para calcular o subsídio, é preciso contabilizar o seu salário mensal (salário bruto somado a quaisquer outros prémios e horas extraordinárias). Depois, multiplique o valor do salário-base por 14 meses, se tiver recebido subsídios de férias e Natal, ou por 12 meses, caso não tenha. Ainda assim, a prestação mensal do subsídio não pode ser superior a 75% do valor líquido da remuneração de referência, apesar de isto não se aplicar nas prestações mais baixas.

A fórmula de cálculo é a seguinte:

SB x 14 (ou 12) = R
R/360 = MD
65% de MD x 30 = SD

SB: Salário-base
R: Remuneração de referência
MD: Montante diário
SD: Subsídio de desemprego

SALÁRIO-BASE DE 500 EUROS:

500 x 14 = 7 000
7 000 / 360 = 19,44
65% de 19,44 = 12,64
12,64 x 30 = 379,1

Subsídio de desemprego: 419,22 euros por mês (o IAS é o valor mínimo)

SALÁRIO-BASE DE 1000 EUROS:

1000 x 14 = 14 000
14 000/ 360 = 38,89
65% de 38,89 = 25,29
25,29 x 30 = 758,70

Subsídio de desemprego: 758,70 euros por mês

SALÁRIO-BASE DE 2 500 EUROS:

2 500 x 14 = 35 000
35 000 / 360 = 97,22
65% de 97,22 = 63,19
63,19 x 30 = 1895,83

Subsídio de desemprego: 1257,66 euros por mês (três vezes o IAS é o valor máximo)


Subsídio social de desemprego

Beneficiários com agregado familiar

- 419,22€ (100% do IAS) ou o valor líquido da sua remuneração de referência*. Prevalece o valor mais baixo

Beneficiários sozinhos

- 335,38€ (80% do IAS) ou o valor líquido da sua remuneração de referência. Prevalece o valor mais baixo

- No caso do subsídio de desemprego subsequente, este não pode ser superior ao valor do subsídio de desemprego de que beneficiou antes

Subsídio de desemprego parcial **

- Ao valor do subsídio de desemprego, acrescido de 35%, é subtraído o salário que recebe no novo trabalho a tempo parcial

- Quando o beneficiário desempenha uma atividade profissional independente, o valor corresponde à diferença entre subsídio de desemprego acrescido de 35% e o seu rendimento anual presumido para efeitos fiscais, a dividir por 12 meses

- Permanece igual ao subsídio de desemprego sempre que o subsídio de desemprego, acrescido de 35% ou a soma dos rendimentos do trabalho por conta de outrem ou trabalho independente com o subsídio de desemprego parcial sejam inferiores ao IAS

* A remuneração de referência é quanto a entidade empregadora declarou à Segurança Social que lhe pagou, em média, nos primeiros seis meses dos últimos oito (a contar do mês anterior àquele em que ficou desempregado) menos os descontos para a Segurança Social e os impostos.

** Depois de acrescentados os 35%, o valor do subsídio de desemprego parcial não pode nunca ser superior ao valor do subsídio de desemprego que recebia antes.

Voltar ao Guia do Desempregado

Guia do Desempregado

Deixe o seu comentário




 
Publicidade
Siga-nos: Facebook Expresso Emprego Twitter Expresso Emprego Linkedin Expresso Emprego

Publicidade


Formação Em Destaque...   Formação
 

Liquidity Risk Manager

Michael Page

Responsável de Marketing

Michael Page

Controller Financeiro

Randstad Professionals

Administrativo de Processos Logística

Randstad Professionals

Técnico Oficial de Contas

Randstad Professionals

Dba Sql

Randstad Technologies
 

Publicidade

©2014 | Expressoemprego | Todos os direitos reservados